Todos os países da lusofonia
Advertisement

Missões impossíveis "apesar da questão austríaca"

PDF Imprimir e-mail
Não posso deixar de vos parabenizar pela excelente "página nobre" sobre o papel desempenhado pela presidência portuguesa do sr. Gutierrez nas reuniões da Europa dos 15, embora não veja nenhum motivo para sua (de quase todos) condenação da Áustria, o que constitui uma anti-democrática intromissão nos seus assuntos internos e discriminação contra seu político da chamada extrema-direita que não é pior do que o foi aí a extrema-esquerda pró-soviética e seus "muchachos" fardados e vermelhuscamente ajaezados com cachecóis rubros do COPCON (lembram-se das invasões de residências particulares e detenções arbitrárias comandadas pelo "brigadeiro"de aviário e cabecilha das brigadas revolucinárias que cometeram crimes hediondos Otelo Saraiva de Carvalho, que por aí se pavoneia livre e impunemente com uma baita pensão de coronel e quiçá de ... "conselheiro da revolução" o que garantia benesses especiais, recordam-se das repugnantes e primitivas vis fanfarronadas daqueles capitães (?!) semi-analfabetos que vomitavam bésteiras na Praça de Touros do Campo Pequeno prometendo ao povo ignorante ou inconsequente, que poucos anos antes, em massa participara do funeral do ex-padre ditador o fuzilamento dos fascistas e que atacavam o Patriarcado - e nisso quem estas linhas escreve dá razão ao que José Saramago, prémio NOBEL do socialismo nórdico-escandinavo, disse ao receber seu "gordo" quinhão, sobre o papel da Igreja Catôlica, portanto do Vaticano, onde pontifica o Cardial nazista Ratzinguer em nome desse bom homem que é o polonês João Paulo II, o qual, débil e talvez já sofrendo do mal de Alzheimer, há muito deveria ter cedido o seu manto cesariano a outro "césar" mais jóvem mas não o faz porque decerto convém que seja ele o bode espiatório dos "opus dei" que ali mandam de facto - em particular da sempre contestável Igreja Catôlica lusa, de cuja opinião Cerejeiróloga (passe o neologismo) e do ex-mação Albino dos Reis, tratado de traidor pelo nobilíssimo democrata que foi o General (e não... Marechal, ao menos a título póstumo já que outros sem feitos bastantes na guerra nem qualquer prestígio realmente merecido, receberam a honraria in vivo) Grão- Mestre do Grande Oriente Lusitano Unido - Maçonaria Portuguesa - Norton de Mattos, dependia a designação de certos afilhados para ministros, secretários de estado e governadores civis, presidentes de câmaras municipais, directores-gerais, embaixadores, etc., etc., na época mais tachista, inclusa a fase hesitante da ridícula "ditadura" do cúmplice comprovado da revolução abrilista sr. Marcelo das Neves Alves Caetano, filho de um modesto guarda fiscal mas que se dava ares de grande burguês, da História de Portugal (quase fotocopiada, com impressionante fidelidade pela que se lhe tem seguido,) durante a vigência da ditadura... de inspiração clerical] a morte aos que eles consideravam "fascistas", certos desses mesmos fardados que, como o falecido coronel (com aposentadoria de ministro certamente pois fora "mui nobre conselheiro" invulnerável e cheio de mordomias e passeios pelo mundo de então, Melo Antunes, para mim de execranda e caricata memória, foram porta-estandartes nos desfiles das famélicas, deliberadamente mal-armadas, despreparadas e confinadas em quarteis militres, lém de desmuniciadas "forças" milicianas das - que boa piada! - S.S." salazaristas na Avenida das... "amplas" Liberdades. Foi essa clique de cínicos abades e curas de aldeia minhota ou beirã que durante cerca de 36 anos se infiltrou maçonicamente no Poder e foi namorada pelos subservientes e menos corajosos políticos civis e militares, quem andou depois pelas aldeias e nos púlpitos fazendo comícios contra a ida dos nossos rapazes para a guerra nas Áfricas, que a ninguém interessavam, e pertenciam aos pretos, segundo eles, foi essa clique quem envenenando a mente do povinho e distorcendo a importância historica, estratégica e economica das colônias, abriu espaço aos incultos próceres do movimento dos "capitas" de formação apressada em academias decadentes onde se faziam cursinhos de lambe-lambe, sem sequer irem à Politécnica fazer preparatórios; e estes foram a Cuba abraçar os mercenários castristas e pedir-lhes que fossem depressinha rendê-los em África; eles abriram aos soviéticos as portas de CUNHALGRADO- a Lisboa dessa triste e vergonhosa fase da revolução dos cravos ora... murchos- . Eram quase todos eles, da cúpula dita revolucionária anti-fascista que andou a cortar orelhas de guerrilheiros do PAIGC na Guiné-Bissau e também em Angola, fãs, idólatras dos herdeiros do HITLER DE MOSCOU, o também auto-promovido Marechal político José Stalin, ou do HITLER DO VALE DO BENGO, o poeta-esculápio de 2ª categoria Agostinho Neto! E ninguém ainda foi indiciado ou julgado por esses crimes de alta traição e de lesa-Pátria... Pelo contrário: está tudo bem de vida, passeando pelos Algarves e pelo Exterior, ou vivendo de negócios altos, até Otelo parecve ter montado uma firma de mercenários e assistência técnica militar que teria causado graves danos à FLEC que apenas luta para que seja respeitada a identidade e independência de Cabinda cujos boma-zanei-n'vimbas firmaram o Trtado de Simulambuco confiantes na honestidade de propósitos dos portugueses, que viriam a entregá-la de bandeja Gulf International defendida por um batalhão cubano durante muitos anos e ao MPLA pró-soviético. Mas isso é história antiga que não interessa aos socialistas europeus, não é verdade? Gutierrez ou Guterres luta pela união do que está desunido pelas línguas... diferentes. Faz muito bem, pois foi essa a promessa que fizeram aos socialistas se lutassem pela descolonização - façam isso e nós ajudamos e nós pagaremos todas as despesas. Mas nem assim Portugal deixa de ser, a par da Grécia, um dos.. dois países mais atrasados da EUROPA dos 15 que em breve receberá mais doze... E o mundo lusófono, esse, está fugindo de Portugal: Xanana Gusmão pediu professores de português (e não só) do Brasil para Timor-Leste e foi logo secundado pelas demais ex-colônias... africanas. O grande Leopold Sedar Senghor já dizia que seria maravilhoso se os lusófonos se unissem e criassem uma grande comunidade, uma união de estados luso-afro-brasileiros que mais adequado seria dizer: brasi-luso-africanos, com o Brasil na presidência da união ou confederação. Isso sim. Seria a união vigorosa e invencível cultural, linguística e economica, pondo de parte a militar por obsoleta em nosso novo milênio que entrará em 2001- dos povos lusófonos. Sempre ouvi dizer na minha juventude, quando universitário e admirador dos escritos de Gilberto Freyre que a verdadeira pátria é a língua comum. Portugal, infelizmente, o Portugal socialista, está esquecendo isso. E talvez venha a pagar um alto preço por esse erro... socialista e social..."democrata". Sua frota pesqueira parece que agora só tem embarcações com bandeira espanhola, ou não é assim? Como será o futuro... europeu desse minúsculo e inexpressivo em termos internacionais, quintal que de lusitano só leva a fama? LUSOFONIA, sim! O resto é poesia, é paisagem... folclórica. Mesmo assim, repito: Vosso comentário merece aplauso pela qualidde e pela isenção ideológica que dele transparece. Não fui aí nem preso nem perseguido como fascista, emigrei já quinquagenário e com 11 ou mais anos nas fileiras, tendo 5 louvores e 2 punições na minha folha de serviços, contando 8 passados em Macau. Cheguei ao Brasil e tive de lutar sozinho e sem padrinhos para vencer e me alcandorar a professor universitário até aos 70 anos de idade, embora ganhando sempre pouco; embora me considere acima de tudo um cidadão do mundo, descrente e desiludido, amo e admiro muito o Brasil apesar do mal que, por lamentável ignorância, alguns políticos de esquerda (isso existe mesmo?!) daí dizem dele e dos brasileiros(as), por despeito e por inveja. Em 4 de Julho completar-se-à 1/4 de seculo sobre a data do meu desembarque no Rio donde vim para São Paulo decorridos apenas 3 dias; vim sem proteções, sem padrinhos, sem dinheiro, só com a passagem e sem procurar amigos porque não acredito na ajuda dos mesmos, a não ser a do falecido e muito digno jornalista José Manuel Pereira da Costa, mais tarde diretor de O DIA lisboeta. Na Ação Psicológica fui um durante mais de 10 anos e sem receber gratificações ou salários generosos um ex-combatente que em Angola lutou sem armas mas correu riscos de vida maiores do que os que as usam e que nunca se ocultou ou rendeu, merecendo pelo trabalho desenvolvido e coragem demonstrada, rasgados elogios formalizados até pelo vero democrata e honestíssimo militar, infelizmente já falecido, general, então comandante-chefe das FA em Angola, Eng. Aeronáutico João de Almeida Viana, injustiçado por Silva Cunha e Marcelo Caetano, e pelo hoje tenente-general da Res. Renato Marques Pinto, ex-Diretor-Geral dos SIM pós- 25 de Abril de 1974; vim sem dinheiro nem intenção de retornar. Oxalá o sr. Guterrez ou Gutierres se preocupasse também com o mesmo zelo e competência como dirigiu os trabalhos da cúpula da UE em olhar para os ex-servidores civis ultramarinos e metropolitanos há anos desvinculados, como aposentados, da função pública e reduzidos pelo Cavaco a simples números para não beneficiarem como beneficiam os militares (eles dispõem das armas, não é verdade?) dos reajustes periódicos dos que se encontram na ativa, ao contrário do que se passa no Brasil. A bem da elevação do padrão de vida português talvez fosse oportuno o sr.primeiro ministro cuidar de emendar os erros do cristão democrata da PUC disfarçado de social-democrata (coitado do Bernstein, se fosse vivo por certo reclamaria dessa ousadia de certos burgueses lusitanos), legislando com o consenso da magna Assembléia da Repúbliuca cujos deputados deviam para já declinar as injustificáveis e imerecidas aposentadorias que vêm abusivamente se atribuindo às custas de um povo que passa dificuldades pois pertence, sem dúvida, a um dos países mais pobres e menos preparados da Europa... Unida, Senhor Gutierrez Guterres: Sane quanto antes as injustiças praticadas em ordem aos aposentados civis daí e aos retornados do ultramar e, em termos de carga tributária a todo o povo, e aos pequenos empresarios. Seu antecessor Cavaco e Silva foi um desastre nacional... Um, esse sim, fascista disfarçado de democrata. Que o Inferno, se existisse tal coisa, cuide da älma" desse pobre economista burguês. Um dos tais que não gostam do Brasil e dos brasileiros, segundo consta... o que felizmente não é o caso do atual (escrevo segundo as regras brasileiras de que gosto mais) primeiro-ministro Gutierrez ou Guterres.


Carlos Mário Alexandrino da Silva
Lorena, SP, Brasil
Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
Acrescentar como Favorito (440) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 3986

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
| cheap car hire