Todos os países da lusofonia
Advertisement

OS SENHORES DO MUNDO...

PDF Imprimir e-mail
Os Senhores do Mundo estão aparentemente se preparando para uma guerra sem tréguas contra o terrorismo internacional e não somente para exerceram retaliações e capturarem Osama bin Laden. Até certo ponto, é compreensível depois do ataque horrendo, no dia 11 de setembro, ocorrido nas cidades-chave da terra soberana controlada pelos EUA, que os mais altos responsáveis queiram punir exemplarmente os que fizeram sofrer o seu povo (e não só este). Mas o que eles, os maiorais da Casa Branca e do Congresso, não parecem perceber, nem 83% dos cidadãos americanos, é que a guerra, se houver, não vai atingir apenas aos culpados mas também a uma multidão de inocentes- até afegãos, civis que estão fugindo espavoridos para o vizinho Paquistão que não os deixa entrar lá- dos quais muitos irão, mais uma vez, morrer ou sofrer... do que já sofrem sob a opressão do regime teocrático de Cabul. Esses que planejaram, montaram e dirigiram o hediondo ataque do dia 11 de Setembro não estavam atacando aos políticas dos EUA, mas sim aos trabalhadores de todas as classes, de todas as religiões, de todas as raças e etnias, de todos os credos políticos, ricos, remediados e pobres (de executivos a engraxates e mensageiros) e das mais diversas (62 no total) nacionalidades! Mais de 6.500 morreram, no mínimo, nos três casos registados. Pessoas que não tinham qualquer participação no controle da pólitica internacional dos EUA! Os responsáveis por esse nefando ataque por certo, se são esclarecidos, sabem bem que, com isso só fortaleceram o poder da classe governante daquele estado nação, polarizando as massas em torno da liderança máxima no seu propósito de vingança. Como tantos outros mentores de guerras anteriores , os atacantes buscaram cegamente impor o seu fanatismo criminoso atingindo, como é próprio da estratégia do terrorismo, criaturas inocentes e indefesas.Trata-se de gente -os atacantes...- que não é gente, que não é humana: são monstros ( mas somente eles? E os do Vietnam, apesar dos horriveis crimes também praticados pelos homens de Ho-Chi-Min?...). Só por isso, merecem ser eliminados da face da TERRA quanto antes. Mas o que surpreende é que os tão badalados CIA e FBI tivessem fracassado completamente na detecção desta operação terrorista feita nas "barbas" deles e, para mais, tendo aquela organização recebido de um informante, ao que parece iraniano residente na Alemanha, um telefonema, susceptível de confirmação por autoridades de um governo estadual germânico, que poderia ter conduzido, segundo parece, à neutralização, em tempo oportuno, daquele tenebroso plano de ataque ! Porém, não acreditaram e desligaram o telefone não lhe dando tempo a fundamentar a sua denúncia!!!
Em vez de contribuirem para uma resistência global contra a exploração e a opressão, os atacantes golpearam num sopro o movimento de resistência potencial aos piores males transnacionais e fortaleceram ainda mais o poderio das classes governante e super-ricas.
George Bush, Jr tinha sido, até então, considerado como um quase-bobo (o que não é nossa opinião) que se tinha alcandorado à presidência da única superpotência do planeta através de, segundo as más línguas, corrupção e duvidoso pleito eleitoral... Agora Bush é visto como um herói por muitas das mesmas pessoas que não o queriam no Poder há algumas semanas atrás!!!
Os atacantes não distinguiram entre a classe governante dos EUA e esses que morreram, muitos dos quais também na América estavam enquadrados na legião dos oprimidos.... Engraxates, bombeiros, policiais, garçonetes, etc.. A razão para o que estamos afirmando é que os atacantes só representaram a vontade de Osama que está, obviamente, comprometido com a classe governante islâmica mais conservadora e opressora dos povos do Oriente Médio e Ásia Central e não só do Afeganistão mas da Líbia, do Iraque, etc... e até da norte-africana Argélia onde mouros e berberes se enfrentam diariamente e o fundamentalismo islâmico diariamente comete crimes contra criaturas inocentes.
Ele próprio, bin Laden, na realidade nada mais é do que um grande chefão capitalista. que vem engrossando milhões de dólares US herdados de uma família do Iémen (ex-Aden) que no século passado teve de emigrar para o Sul do hoje Arábia Saudista onde enriqueceu fabulosamente. Ele, formado em engenharia, 44 anos de idade, muito culto e inteligente, apesar de viver como um asceta numa caverna com três cómodos e uma enxerga ao lado da qual tem sempre o Alcorão, vive isolado (mas rodeado de computadores e transmissores) nas montanhas do Agfeganistão; dali explora os seus próprios colaboradores e compatriotas ou correligionários. O que faz é, acima de tudo, uma guerra pessoal - seu hobby?! só?!-.. Serviu na CIA, que o treinou, lutou contra os russos, soviéticos, nas montanhas do Afeganistão, mas a partir de 1991, sentindo-se afastado, ou menos prezado, virou-se contra os antigos "amigos"... que o financiaram e treinaram para aterrorizar e para matar... por esse mundo fora...
Trata-se, senhores, da guerra de um chefão quase mafioso especializado em terrorismo e que o próprio Carlos "O Chacal" lá de longe, do seu cárcere francês, louvaminhou há dias!. Classe alta de um lado, travestida de fanatismo fundamentalista islâmico, competindo com outros da Classe alta do outro lado, irredutivelmente detentora do império do dólar; afinal ambos determinados numa luta pela riqueza e pelo poder mundial e usando as mais Baixas Classes para lutarem no terreno, no ar e no mar as suas guerras "grupais"às custas do sacrifício e morte de inocentes... Esta guerra que está sendo "fermentada" , à escala planetária, com mísseis, missas e reuniões de cúpula, contra os fundamentalistas islâmicos descendentes de Ismael, filho da escrava Agar e do velho Abraão, ou convertidos à sua fé bolada por um tal Maomé, nada mais é do que uma guerra para a dominação global. Do um lado, você tem o capitalismo ianque associado ao capitalismo eurocentrista. ambos ciosos por ampliarem seu domínio político-económico soerguendo o estandarte da nova economia das "globalizações"geograficamente delimitadas; e do outro lado, você tem uma nababesca élite capitalista-religios, tresandando a petróleo, cuja classe governante pretende, na verdade substituir a ora predominante classe cristã e ocidental da decisão global; substituí-la por uma outra, nova , também global, apoiada em valores "espirituais" supremos e contagiantes, sob o comando de... Alá (que, mudo, inerte, cego e surdo, tudo suporta...).
Na análise final não existe significativa diferença entre as duas partes no que tange a formas de exercício directo ou indirecto da tirania.
A fundação da prosperidade estado-unidense foi construída mediante massacre e confinação em reservas dos seus subgrupos autóctones e pela escravização de africanos. A industrialização foi alicerçada na grande exploração da mão-de-obra de pessoas de classes humildes importadas, como todos os "whites", "yellows", and blacks, dos States, dos vários continentes e países ou territórios do Globo atingidos por crises, guerras, situações coloniais ou carências históricas. O sistema social foi construído segundo o esquema sociedade de classes, com forte institucionalização do racismo e do sexismo. Os "interesses externos" foram realizados por guerras imperialistas em que sempre se falou de DEMOCRACIA e LIBERDADE; o próprio território nacional do Tio Sam muito ampliado depois da Declaração de Independência constitui prova cabal disso, com excepção dos Estados do Sul, alguns dos quais adquiridos à França napolenónica acossada pelo bloqueio naval britânico, e do Alasca adquirido ao Czar de todas as Rússias.O Havai foi anexado e o Porto Rico, vive em situação ainda mais sui generis.... O restante é, de facto, fruto de um imperialismo de espaço econômico - e não de espaço vital como o "hitlerista"- que anexou ou colocou sob "órbita de influência hegemónica do Uncle Sam" territórios coloniais ou já emancipados...
E quando alguns desses grupos nacionais tentou resistir-lhes, logo os valentes clones de" John Wayne" responderam com duras matanças de inocentes. Apareceram no século XIX Bufalo Bill e suas versões que reduziram ao silêncio os recalcitrantes ou "índios selvagens e bárbaros" e não foi "moleza" o duro castigo que desabou sobre os ousados "red indians" que, à imagem do Duque de Caxias e do Conde d´Eu brasileiros em relação aos paraguaios no mesmo século, derrotaram e mataram o cruel Custer e seu "7º de Cavalaria"... Em Iroshima e Nagasaki, no termo da segunda guerra mundial, os bombardeiros B-52 da US AIR FORCE não hesitaram em jogar uma destruidora bomba atômica sobre cada uma dessas cidades, matando... muito mais civis do que os agora sacrificados em New York, no Pentágono em Washington e no Boeing que teve de ser abatido por caças para não chegar à Casa Branca, além dos soldados da paz e policiais que tentaram socorrer as victimas do ataque às duas Torres do WTC... Mesmo sem ter, como agora, o seu centro do Poder ameaçado, o ranzinza Tio Sam não tolera situações que lhe desagradam e daí o "cinéfilo" e sorridente Clinton ter mandado bombardear, com napalm, populações rebeldes negro-sudanesas. Mais tarde, os bombardeamentos castigadores que à sombra da OTAN ocorreram na Iugoslávia e as grande viradas operadas em Angola e na RD Congo. Na primeira ex-colónia portuguesa, quando George Bush senior era presidente, a UNITA e o Dr. Jonas Savimbi eram os "bonzinhos"; representavam os grandes interesses do Ocidente, havia que chutar de lá os 50 000 mercenários cubanos que asseguraram durante 15 anos o Poder ao prósoviético e ... "marxista" (sem queremos ofender a memória de Marx que era decente e não corrupto e rapace) ao Agostinho Neto até à sua... muito estranha morte na mesa de operações cirúrgicas soviética. Uma morte muito estranha, essa, em condições não explicitadas à VOA, há dias, que a inquiriu a tal respeito, pela sua mulher Maria Eugénia, filha de um carcereiro do Aljube por quem o poeta-médico angolano se enamorou quando ali esteve detido nos anos 50 por suspeita de ser activista do PCP (e não nacionalista do MPLA, ao tempo ainda inexistente), e posteriormente ao seu sucessor, José Eduardo dos Santos, adolescente humilde e pobre de um musseque luandense que hoje é o homem mais rico do continente africano sem jámais haver sido empresário nem herdeiro de algum Crésus; mas logo que o ex-governador do Estado do Texas, onde estão sediadas a poderosa CHEVRON e sua associada GULF que detêm, desde os tempos coloniais, a exploração dos petróleos da plataforma continental cabindense - do Kuvait africano - e que ajudaram à despesa da propaganda eleitoral do George Bush junior, foi entronizado na Casa Branca, a sorte abandonou a UNITA e o seu mais preparado e carismático líder, reforçou-se uma "troika" muito estranha de que fazem parte Portugal(G) + EUA + Rússia, e o Brasil, ávido por ocupar o espaço deixado em África pelos portugueses "descolonizadores" alinhou nessa avalanche de influências porque tem ali fortes interesses (quando saímos de Angola em Janeiro de 1975 havia 25 brasileiros ali, hoje o seu número ascende a muitos milhares, técnicos, empreiteiros, operários especializados, missões católicas e evengelicas´, etc., etc..) - a Odebrecht, a Braspetro do GRUPO PETROBRAS, a AVIBRAS e a EMBRAER que fornecem equipamentos de guerra, pilotos e aviões de bombardeamento e reconhecimento, além de outros. E aí, a morte por lá campeia também, com bombardeamentos de aldeias rurais em que se utiliza napalm, etc.etc., etc... Dois milhões de mortos angolanos em 26 anos de guerra civil, cerca de 300 000 mutilados segundo os Médicos Sem Fronteiras que se lamentam de não ter nenhum apoio oficial nem das NNUU, centenas de milhar de deslocados, hinterland quase despovoado, êxodo rural, doença, fome, sida em profusão, morte, desemprego, inflação e desolação. Luanda, a cidade dos Mercedes de luxo e em que o presidente vai de helicóptero de sua residência de verão no Futungo de Belas para o Palácio Presidencial, bem pertinho, tem cerca de dois milhões de habitantes quando nem meio milhão comportaria em condições normais... Afinal, até em Angola em chão sem skyscrappers o número de víctimas transcende em muitas vezes o das pessoas sacrificadas ao criminoso e vil ataque às Torres do WTC ! E finalmente, o que dizer da República Democrática do Congo que teve o seu presidente vitalício, generalíssimo Mobutu, ex-dactilógrafo do escritório da firma comercial portuguesa de Leopoldville - hoje Kinshasa- Nogueira & Companhia, respaldado pelos US enquanto foi útil, tal como acontecera na guerra de libertação (?) de Angola com o seu cunhado Holden Roberto e sua UPA/FNLA armada e municiada pela CIA e pelo American Committee on Africa presidido então pela Senhora Eleanora Roosevelt?... Bill Clinton colocou o Kabila, o nome do País mudou uma vez mais, mas o novo presidente-bandido desagradou e ... fez-se um funeral, sendo ele substituído pelo seu filho, obediente e cerebralmente pouco dotado, dizem os seus detractores -não quem estas linhas escreve e que nem o conhece pessoalmente -.... E quantos estão morrendo de morte macaca ou de fome lá no País que foi colónia belga e, se entregue a gente preparada, o que também não está acontecendo em Angola, onde há 21 anos se vive impunemente e com a benção portuguesa, uma ditadura crudelíssima e corrupta, devia ser um Eldorado Africano?!!! Parece que Salazar, afinal, tinha razão quando em 1966, embora aceitando a idéia mas a longo prazo, falava em círculo politico limitado, na inevitável independência de Angola.... (vidé Ecmnésia Histórica Colonial, em www.portugal-linha.pt)
O mecanismo da acção psicológica, da opinião pública controlada, está funcionando muito bem nos Estados Unidos mas no exterior e pior será se a guerra não estourar já e tiver poucos sucessos à partida, pois está perdendo vigor... O dito e jurado está sendo timidamente denegado por vários aliados pressionados pelos partidos comunistas e blocos esquerdistas que querem de longe convencer o Presidente Bush de que não deve haver vingança sangrenta mas sim, castigo aos culpados ou culpado... que nega sê-lo... Mas, verdade, verdadinha, com o bin Laden a negar a autoria do monstruoso crime e o Taliban a secundá-lo e a dizer que não entregará o milionário terrorista e apenas o aconselhará a deixar o País, como vai ser?! Lá na vizinhança, o tal de Paquistão muçulmano mostra 63% de sua fanatizada população querendo aderir à idéia de Jihad (guerra santa contra os giaurs -cristãos-, parece que vamos ter no presidente paqustanês outro general Gordon, sacrificado no Sudão pelo terrível Mahadi) e vitoriando Osama bin Laden mas seu presidente, um general mais prudente, dizendo que apóia os EUA... Por isso foi condenado à morte pelos grupos fundamentalistas islâmicos que o acusam de heresia!
Agora há quem propale que máfias de ex-países do "paraíso soviético" venderam a bin Laden e ao Iraque bombas nucleares mais modestas, porém bombas nucleares que podem fazer muito estrago, roubadas dos arsenais da antiga URSS!!! Se fôr verdadeira esta notícia, embora eles não disponham, ainda, de misseis intercontinentais de longo alcance, teleguiados, mas como tanto o Paquistão como a União Indiana, a Líbia e Israel - e talvez a Arábia Saudita... - dispõem desses "brinquedos" imagine-se !- sem pretensão de fomentar o alarmismo - no que poderá degenerar uma agressão ianque (será? ou eliminação de uma fonte de terrorismo e de opressão vandálica?!) ao Taliban, mesmo a partir da esquadra americana fundeada no Golfo e de aviões de bombardeamento que foram enviados para aquela área, sem falar nos 20 000 soldados americanos e britânicos que já seguiram para ali?... Friamente vistas as variáveis que intervêm no processo em análise, tudo aponta para a inexistência de substanciais diferenças quanto a propósitos agressivos de ambas as partes (?!) sem olhar a quem, entre a classe governante dos EUA e esses que atacaram os... atacaram em casa! Resta a esperança de que o general Colin Powell, Secretário de Estado, continue fazendo-se ouvir pelo presidente Bush de modo a que se punam e sejam destruídos os culpados mas sem intenção de seviciar populações inocentes e indefesas, como alguns pretendem que se faça.
O frenesi de guerra fez esquecero racismo condicionado que é uma parte fundamental do modo americano de pensar. Os americanos gostam que neles se enxergue um agrupamento superior de pessoas e não faltam aqueles que através da raça, classe e origem nacional, se consideram superiores aos que reputam como "diferentes": os não americanos...
Quanto às religiões das partes em provável "confronto" ambos acreditam que o mundo foi criado pelo seu Deus e este problema ora surgido suscita-lhes que a criação do Deus de cada um dos macrogrupos está sendo ameaçada de destruição pelos seguidores do Deus do grupo oponente, inimigo. Isto dá consistência à afirmação de Karl Marx de que ... "a religião é o ópio do povo".

Deus, se existente de facto, proclamaria a todos: DEIXE de ASSASSINAR EM MEU NOME!!!

Na realidade, neste conflito já desencadeado pelos terroristas e que poderá assumir proporções muito graves para a Humanidade, nada existe que possa fundamentar causas assentes em religião ou espiritualidade. Você pode forçar as pessoas a seguirem as leis de uma classe governante mas você nunca poderá forçar as pessoas, se a iso não estiverem dispostas, a acreditarem em qualquer forma de religião.
Suas convicções sempre se fundamentarão na livre vontade de cada indivíduo decidir por si e para si em quem acredita ou não. Se houver um Criador que alguns chamam Deus da Criação, uma parte dessa criação é fruto apenas da livre vontade da humanidade. Assim, um acto de dominação religiosa, como está acontecendo com os fundamentalistas que conquistaram o Poder no Afeganistão, tem de ser considerado como um acto contra a criação e, por conseguinte, contra o Deus deles também!. Nada temos a censurar áqueles que não aceitam uma forma de religião preferindo-lhe outra, diferente. Mas, quando se busca impor a alguém a religião de outrém, quem assim procede está expulsando de si o seu Deus e substituíndo-o pelo domínio da tirania humana. É curioso verificar que aqueles que, em nome de uma proclamada causa (que em regra só aproveita a meia-dúzia quando a vitória é alcançada, vg Angola... e Portugal pós-25 de Abril de 1974) assassinam pessoas inocentes, como acontece nas Filipinas, na União Indiana, na Argélia, no Israel e Palestina, no Líbano, em Moçambique, na Republica Democrática do Congo, em Angola, no Serra Leoa, no Zimbabué, no Sri Lanka, no País Basco, Irlanda do Norte e na Macedônia, entre outros exemplos que poderiam ser evocados, são chamados de terroristas mas os que o fazem escorados no Poder do Estado-Nação são chamados de forças legais que aplicam... a justiça a seu modo. No fundo, no fundo, ambos são terroristas!!! ambos sacrificam civis, gente indefesa e inocente. Isso aconteceu também na guerra colonial do Império Português em que os chamados "nacionalistas", com excepção da UNITA (sem favoritismo mas por respeito à VERDADE), eram servidores de interesses estrangeiros - FNLA, da CIA/AConAf- e MPLA - da URSS - e tratados, todos os três, na mídia portuguesa, como "terroristas" e na gíria como "turras" enquanto que estes,em particular os do MPLA, referindo-se aos militares portuguesas os denominavam de "portugas" ou "tugas", expressões essas com... conotação "terrorista". Concordamos com o presidente Bush que constitui um imperativo indeclinável libertar o mundo do terrorismo, do vandalismo, da violência, da droga, do fanatismo religioso, da corrupção, da tirania, das ditaduras... Mormente em África, na América Latina, na Coréia do Norte e no Oriente Médio. Já! Sem matança de inocentes, pondo-se também termo ao "terrorismo económico" das transnacionais, à opressão e exploração das classes trabalhadoras ou menos favorecidas onde quer que se encontrem, e à escravidão e prostituição ou subjugação infantil que existe ainda, até no desenvolvido Brasil, na América do Sul, na América Central, no Caribe, no Níger, na Etiópia, no Sudão, no Setentrião Africano e no Oriente Médio, na Turquia (Curdistão), na Rússia e ex-repúblicas soviéticas, na Tailândia, na República Popular da China, na União Indiana, no Sudoeste Asiático em geral e nos milhares de ilhas da Indonésia, não falando de outros países e regiões onde também se pratica. É mister começar a construir um mundo melhor, um mundo novo, fundado no bem-estar sócio-económico de todas as pessoas e na paz social.. Fim aos nacionalismos e viva o mundialismo fraterno. Com o ataque de 11 de Setembro houve muitas exibições ufanas de Americanismo com ataques a pessoas vistas, pela sua aparência fisionómica ou pela sua origem etnica ou religiosa, como inimigas. 'O próprio presidente Bush condenou essas atitudes xenófobas e recomendou bem senso. Os que praticaram tais actos criminosos ou condenáveis não foram, na verdade, patriotas mas sim... patrioteiros, como aconteceu em Portugal, por algum tempo, após o 25 de Abril de 1974.

Estas, as reflexões que nos inspiraram os acontecimentos ocorridos nos EUA em 11 de Setembro de 2001 - uma data de LUTO PESADO ( mais uma), para toda a HUMANIDADE.


Carlos Mário Alexandrino da Silva
Lorena, Brasil - 21/09/2001
Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
Acrescentar como Favorito (497) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 4948

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
| cheap car hire