Todos os países da lusofonia
Advertisement

Napoleão estava certo...

PDF Imprimir e-mail

JIHAD- UMA NOVA GUERRA SANTA E UM MUJAHID...

- A MÍDIA "LIVRE" ESTÁ FAVORECENDO OSAMA BIN LADEN ENTRE MUÇULMANOS E AFRICANOS. MOBILIZEM A RÁDIO CENTRAL DE MOSCOU! E A RADIO PEQUIM QUANTO ANTES--

NAPOLEÃO ESTAVA CERTO...


Na guerra, disse Napoleão, o elemento moral e as relações públicas constituem meia batalha. E disse isso muito antes de haver no mundo Internet, rádio e televisão! Pela primeira vez, um antagonista dos Estados Unidos, um indivíduo do Médio Oriente - Osama bin Laden- não só dominou as relações públicas, mas está usando as mídia como arma super-potente contra o exército mais poderoso do mundo e contra o poder da mídia. ocidental.

Washington tinha planejado repetir no Afeganistão o sucesso de que desfrutou durante a guerra do Golfo, contra o Iraque, em 1991, quando o Pentágono monopolizou, filtrou, e moldou ,todas as notícias enviadas do teatro de operações. Desde então, o número de Iraqianos mortos por bombardeio dos EUA manteve-se secreto..

Porém, os pesquisadores pela Liberdade de Ato de Informar aprenderam agora, expressamente, que o governo norte-americano destruiu os esgotos e as instalações para tratamento de água do Iraque embora cônscios de que o resultado seria a difusão de doenças e epidemias. Em resumo, guerra biológica. Os EUA recusam permitir que o Iraque importe cloro para purificar a água....

De acordo com a ONU, 500,000 Iraquianos, principalmente as crianças, morreram de doença e desnutrição causadas por sanções impostas pelos EUA.
Milhares de Iraquianos morreram de câncer devido ao uso de mísseis com munição que incluía urânio utilizada pelos EUA . Quando perguntada a respeito destas fatos, a então Secretária de Estado norte-americana Madeleine Albright respondeu simplesmente que "o preço valeu a pena." O terror de antraz está afligindo América agora mas não é mais do que o reembolso do que os próprios americanos fizeram no Oriente Médio!?

No Afeganistão, o Taliban venceu uma batalha de ação psicológica contra os EUA utilizando a não censurada estação de TV Al-Jazeera, em cobertura exclusiva. Bin Laden no mundo islâmica tem entrada na Al-Jazeera e na mídia do Paquistão para promover sua campanha contra os EUA.. Dali ele desafia com sucesso a informação e o controle desta pelos EUA.o. Como resultado, o Casa Branca está tentando silenciar pelo recurso anti-democrático mas para eles agora essencial da censura sobre a mídia norte-americana.. Conquanto seja vergonhoso e obsoleto esse processo redutor ou neutralizador do papel crítico útil da mídia, está sendo nesta emergência solução imperiosa. As declarações impregnadas de ódio de Osama bin Laden são omitidas na mídia ianque. O jornal paquistanês Uumat publicou uma longa entrevista com o milionário terrorista em que ele contesta a idéia promovida nas mídia norte-americanas de que suas ações sejam fruto de um tipo fundamentalista de totalitarismo islâmico que nada tem a ver com Israel.

Osama bin Laden nega que a sua organização al-Qaeda tenha sido responsável pelos ataques suicídas contra os EUA mas ele os aplaude e sugere que foram feitos por americanos de agências de inteligência ou por um "um governo escondido." De acordo com ele, "nós estamos contra o sistema que faz outras nações escravas dos Estados Unidos, ou que as força a hipotecarem-lhe as suas liberdades políticas" e econômicas.
Osama bin Laden insiste que a repressão de Israel aos Palestinianos é a razão principal para a sua guerra contra a América. Ele afirma que a política externa norte-americana é totalmente controlada pelo lobby a favor de-Israel cuja primeira prioridade, disse, é Israel, não a América. E reivindica, impassivelmente, que não luta contra os americanos , e sim contra o Israel e seus aliados. Por outro lado, bin Laden apresenta uma segunda razão para a a sua luta, que é o castigo que está aplicando ao que os EUA fizeram no Iraque, onde em proveito dos israelenses teriam morto um milhão de Iraqis. Tropas norte-americanas estacionadas na Arábia Saudita, a terra santa do Islã, estão em terceiro lugar na lista de bin Laden..

Tais reivindicações seriam ignoradas normalmente, mas em virtude dos meios de publicidade ao alcance de bin Laden, ele se tornou uma figura de culto do mundo islâmico, que o vê agora como um David muçulmano que desafia o Golias americano, ou um Che Guevara árabe, determinado a desarraigar a influência onipresente de América Oriente Mesmo que ele, agora tão famoso como Cristo ou Maomé, seja morto pelos americanos no Afeganistão ou onde quer que o encontrem, será sempre relembrado no mundo islâmico como uma figura de reverência e um mártir da Causa do Islã.

Os Árabes já bin Laden de "o Segundo Saladino", o grande general que esmagou os cruzados Cristãos. O terrorista saudita desfruta hoje um prestígio e respeito sem igual em nenhum outro líder do mundo muçulmano. Ele modelou para si a imagem de um "Ansar", o guerreiro do deserto da era primeva do Islã,: corajoso, austero, honrado, movido pela fé.

Pequenos bandos de exploradors e guerreiros islâmicos, pundonorosos e aguerridos, disseminaram no passado o Islã desde Marrocos até à China.
Na cultura islâmica, como no Japão, um guerreiro nobre, que luta sem conhecer obstáculos que não possa ultrapssar, conquanto sabendo que morrerá, é alcandorada à mais alta admiração e respeito.No Islã o martírio dos seus heróis é venerado pelos muçulmanos. Osama bin Laden capturou ambos os temas numa exibição notável de pensamento medieval aplicado a uma escala nunca antes verificada, utilizando meios de relações públicas os mais sofisticados e imparáveis no dealbar do século 21 dos Cristãos.
Os Ocidentais vêem-no como um ser repugnante, um assassino fanático. Mas na Ásia e na África muitas pessoas , inclusive não-muçulmanos, consideram Osamna bin Laden, uma personalidade heróica e ousada que imprime uma medida de amor-próprio aos pequenos, aos mais fracos. Um mujahid, ou guerreiro santo, que luta corajosamente contra o sucessor do Império britânico, o Raj americano, E um vingador que está golpeando os Estados Unidos , despertando-os para toda a realidade e ifazendo-lhes sentir na carne as injustiças que teriam semeado ao redor do mundo.

Osama bin Laden, proclamou um jihad, ou guerra santa, contra o Ocidente, apesar de ele não ter qualquer autoridade para emitir fatwas, éditos religiosos e de estar infringindo os autênticos preceitos do Al-Corão..
Não pensa sequer nos riscos que estão correndo também os seus irmãos muçulmanos que vivem nos países cristãos Ocidentais, pois na verdade ele suscitou uma nova e CRUZADA, implacável, uma outra jihad - a "cruzada de George Bush contra terrorismo" que vai ferir de morte os muçulmanos, quiçá abrindo uma nova ERA DE COLONIALISMO necesário que construirá estados-nações submissos sobre os escombros do que deles restar, como está começando a acontecer no Afeganistão... Os GI vão penetrar com seus laser e infra-vermelhos cada uma das mais de 15 mil cavernas daquele estranho país que nem o todo-poderoso Genghis Khan logrou dominar, até destruirem todo o aparelho da Al-Qaeda e seus dois caciques: bin Laden e Omar. Por que não pedir ao Presidente PUTIN que, com apóio dos Estados Unidos, reactive à escala mundial a sua Rádio Central de Moscou, que outrora emitia em múltiplas línguas mais de 800 horas semanais de progrmas de "wasbrain" muito eficientes e penetrantes? Alah Akbar!

Carlos Mário Alexandrino da Silva
Lorena, Brasil - 21/10/2001
Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
Acrescentar como Favorito (479) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 4342

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
Brandschutzausbildung | Søkemotoroptimering | cheap car hire