Todos os países da lusofonia

Galeria Lusófona

Arte Lusófona
Literatura Lusófona
Sabores Lusófonos
Advertisement

Blogs Recomendados

Alto Hama
Pululu
Malambas

Legado Português

Portugal no Mundo
Brasil 500 anos

Empresas Destaque

Horas Lusófonas

Advertisement

O Abril de hoje

PDF Imprimir e-mail

Sento-me e repenso um passado que não me lembro
Surgem-me os cravos por mensagem
como à liberdade uma homenagem
de um país que não conheci.

Dizem das feras que eram más,
dizem das gentes, que sonhadoras.
Salta-me à vista o medo, a ignorância.
Salta-me ao peito a esperança.

Sento-me, e vejo como o tempo se ri
do tempo que levou até chegar aqui,
dos homens que tombaram por ali
sem saber onde chegou  o fim.

Do sonho que não morreu
relata um povo envaidecido,
uma triste história que mal lembramos,
sonhando com um passado nunca vivido.

Raquel Ferraz

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



Advertisement
Advertisement

Comunicados

António Marinho e Pinto - Mudar Portugal

Ler mais...

Broa de Avintes - não tem asas nem sabe voar

Ler mais...
Please login to Automatic Backlinks and activate this site.
 
| cheap car hire