Todos os países da lusofonia

Galeria Lusófona

Arte Lusófona
Literatura Lusófona
Sabores Lusófonos
Advertisement

Blogs Recomendados

Alto Hama
Pululu
Malambas

Legado Português

Portugal no Mundo
Brasil 500 anos

Empresas Destaque

Horas Lusófonas

Advertisement

Francofonia vai cilindrar a Lusofonia

PDF Imprimir e-mail

As organizações da Lusofonia (CPLP) e da Francofonia (OIF) vão juntar-se para promover o ensino do português nos países francófonos e do francês nos países lusófonos, revelou, em Lisboa, o secretário-executivo da CPLP.

 

Ora aí está. A CPLP (sabem o que? Não? Eu também não) pouco ou nada tem feito para promover o português nas países lusófonos mas, agora, promete fazê-lo nos francófonos. É para rir, certamente.

Luís Fonseca, que falava à margem do Encontro dos Três Espaços Linguísticos (3L) adiantou que o acordo, o primeiro do género para a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), está ainda a ser negociado e deverá estar finalizado dentro de um a dois meses, de modo a que a assinatura tenha lugar até Julho deste ano.

Que vão assinar, vão com certeza. Aliás, não é por falta de acordos que a “coisa” não funciona. Não funciona porque não basta a boa vontade, é preciso trabalhar muito e ter meios que a CPLP (sabem o que? Não? Eu também não) não tem.

Este acordo, afirmou, "certamente irá inspirar iniciativas semelhantes que a CPLP espera desenvolver", em particular com os países ibero-americanos, representados no Encontro de Lisboa, e com a Organização Árabe para a Educação, Cultura e Ciência (ALECSO), que também participa, com estatuto de observador.

Pois. Partamos para ajudar os outros a apagar a lareira sem cuidar de ver que temos a nossa casa a arder…

"Temos de colaborar na promoção da diversidade cultural, garantir que os povos dos nossos países sejam respeitados, nas suas culturas e nas suas línguas", disse o diplomata cabo-verdiano à agência Lusa. E, como habitualmente, disse bem. Sófalta o resto. Ou seja, tudo.

O acordo com a Organização Internacional da Francofonia (OIF), representada na reunião de Lisboa pelo respectivo secretário-geral, Abou Diouf, vai abranger a cooperação entre parlamentos, direitos humanos, boa governação e desenvolvimento de sistemas democráticos, além do intercâmbio na promoção da língua e cultura.

Parece-me, mais uma vez, que a francofonia vai comer de cebolada a lusofonia.

Actualmente, três países lusófonos pertencem à OIF - Cabo Verde Guiné-Bissau e São Tomé, que estão "cercados" por países de fala francesa. E nós continuamos a vê-los passar.

Por outro lado, dois países membros da francofonia - Ilhas Maurícias e Guiné Equatorial - têm estatuto de observador junto da CPLP.

Em declarações à margem do encontro, Abou Diouf afirmou que o acordo com a CPLP vai permitir "ir mais longe entre lusofonia e francofonia, que têm membros em comum e um campo plenamente favorável para desenvolver relações".

Mais longe? Claro que sim. Em francês, certamente.
 
 
Orlando Castro

 


Acrescentar como Favorito (443) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 3337

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



Auto Rent Algarve
Advertisement

Comunicados

António Marinho e Pinto - Mudar Portugal

Ler mais...

Broa de Avintes - não tem asas nem sabe voar

Ler mais...
 
Beställ Smörgåstårtor I Helsingborg | cheap car hire