Todos os países da lusofonia
Advertisement

Janelas d’alma

PDF Imprimir e-mail

Em pedra confidente
Com os pés descalços e o coração frio
Falo, me calo e esvazio a mente
Deixo o meu corpo cansado, à margem do rio
 
Meus olhos caminham pela encosta, à frente...
 
Montanha abraçada e sufocada pela solidão
Abandonada, em meio a tanto silêncio...lassidão
 
No alto, os teus olhos recebem os meus com alegria
Eles se agarram e não mais se separam, como mãe à cria
 
Imensas janelas são abertas, além desse horizonte
Descortinando no infinito, a água cristalina
Na beleza dessa fonte,
Que repousa em tua essência, que me alucina
 
Crianças brincando em tardes de sol; lembrança distante
Campos soprados por brisa em noites de luar; quanto amor
Chuva fina beijando teu corpo, doce sabor
Flores acariciadas pelo tempo, eterno amante
 
 
Em pedra confidente,
Abraçado às tuas lembranças
Adormeci, sonhando...
 
Juarez Florintino Dias Filho

 


Acrescentar como Favorito (295) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 3604

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
Simple Recipes | Youth ATVs | cheap car hire