Todos os países da lusofonia

Galeria Lusófona

Arte Lusófona
Literatura Lusófona
Sabores Lusófonos
Advertisement

Blogs Recomendados

Alto Hama
Pululu
Malambas

Legado Português

Portugal no Mundo
Brasil 500 anos

Empresas Destaque

Horas Lusófonas

Advertisement

Portugal aplica acordo em 2011

PDF Imprimir e-mail

Segundo o Ministério da Educação português, a nova ortografia saída do Acordo ortográfico vai começar a ser aplicado a todo o ensino lusitano a partir do ano lectivo de 2011/2012.

 

 

Até aqui nada de novo, a não ser o velho e proverbial método português de fazer as coisas tardes e a muito más horas. Só assim se explica que comecem a aplicá-lo, intempestivamente, diria, não no início do ensino obrigatório, mas logo a todos os graus deste ensino.

 

Como irão as crianças apreender as novas palavras depois de quase lhes terem “enfiado”, quase à pressão, como é habitual, as normas antigas de escrita?

 

Como vão explicar às crianças que agora não devem escrever que “a humidade é má para os metais e para os pára-choques e os factos e as acções penalizadas quando incorrectas” mas que devem escrever que “a umidade é má para os metais e para os párachoques e os fatos e as ações penalizadas quando incorretas”?

 

E como deverão escrever futuramente “homem”, “humanidade”, “hoje” ou “história”. Continuam a escrever-se com o “H” ou como tanto têm avisado os “H” mudos caiem? Mantém-se ou são excepções (perdão, exceções)?

 

Ou como vão se posicionar os editores e livreiros que têm nos escaparates inúmeros livros e manuais com a escrita antiga e acordos para mantê-los por um largo período de anos lectivos (desculpem, letivos)?

 

Não seria interessante e aconselhável que o governo português fizesse distribuir pelos Correios uma brochura com as novas formas de escritas e ressalvando, porque serão, penso, manifestamente ínfimas, as excepções?

 

Ao contrário de certas brochuras que nos enchem as caixas de correio, esta seria, claramente, muito bem vinda, aceitável e realmente lida!

 

É que não serão só as crianças as afectadas. Também os progenitores, habitualmente aconselhados a apoiar o estudo dos seus filhos, também terão de adoptar a nova escrita sob pena de traumatizarem os seus educandos com a oposição dos s novos e diferentes métodos de escrita.

11/Dez./2010

http://elcalmeida.net


Acrescentar como Favorito (456) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 2751

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement
Advertisement

Comunicados

António Marinho e Pinto - Mudar Portugal

Ler mais...

Broa de Avintes - não tem asas nem sabe voar

Ler mais...
Please login to Automatic Backlinks and activate this site.
 
| cheap car hire