Todos os países da lusofonia
Advertisement

O paraíso do engodo ou da hipocrisia

PDF Imprimir e-mail

Oparaíso do engodo ou da hipocrisia

 

Li aBíblia Sagrada e seus Evangelhos por muitas décadas e a mim me mostraram doisparaísos:

 

Oprimeiro, edênico, de nossos pais: Adão e Eva.

Osegundo, apocalíptico, A Nova Jerusalém.

 

Aformação do Jardim do Édem. (Paraíso de Deus).

 

Deus,cheio de bondade criou este paraíso aos seus filhos.

 

Eassim está escrito:

 

Estassão as origens dos céus e da terra, quando foram cria­dos: no dia em que oSenhor Deus fez a terra e o céus.mE toda a planta do campo que ainda não estavana terra, e toda a erva do campo que ainda não bro­tava; porque ainda o Se­nhorDeus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia ho­mem para lavrar aterra.,Um vapor, porém, subia da terra, e regava toda a face da terra. Eformou Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida;e o homem foi feito alma vivente.

 

Estábem claro que o Édem, portanto, o paraíso era uma parte da terra, posto que,“formou Deus o ho­mem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fô­lego davida; e o homem foi feito alma vi­vente”.

Eplantou o Senhor Deus um jardim no Édem, da banda do oriente: e pôs ali o homemque tinha for­mado. E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a ár­voreagradável à vista, e boa para comida: e a ár­vore da vida no meio do jardim,e a árvore da ciência do bem e do mal.

 

A ár­voreda vida no meio do jardim, e a árvore da ci­ência do bem e do mal, isto tudotira a característica de paraíso, onde se tem a idéia de pleno gozo e paz,sendo que aqui começa uma enorme tribulação, ao se incluir a serpente, opróprio Satanás. Ora, ora, isto se nos parece uma brincadeira de muito mau gosto,para as­sustar as crianças desse nosso ignóbil planeta azul. Porém, com todo onosso respeito, existe uma fabu­losa quantidade de pessoas que não consegue en­xergarestes fatos. O medo do inferno e da ser­pente, do Diabo já está impregnado namente dessa grande maioria, portanto, nem querem ana­lisar os livros sagrados,pelo medo do castigo divino. Assim, fica como está, e o erro persiste nasmentes cauterizadas pela ignorância espiritual, que faz a repetência de vidasaos seus resgates cármicos.

 

Saíaum rio do Édem para regar o jardim; e dali se dividia e tornava em quatrobraços.

 

Antes,teve um relato meio duvidoso onde Deus criou os animais e o homem, macho efêmea Ele criou. E o relato continua, dizendo que: Deus colocara o ho­mem alino Édem para lavrar e o guardar e proi­bindo-o de co­mer do fruto das árvoresda vida, e da ciência do bem e do mal, pois, se do seu fruto ele co­messe,morreria, ou tornar-se-ia como Ele.

 

Entãodisse o Senhor Deus: Eis que o ho­mem se tem tornado como um de nós, conhecendoo bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvoreda vida, e coma e viva eterna­mente.

 

Deusparece ter entendido que, arrumou um rival, e logo vai se arrepender amargamentepor isso. Só pode ser brincadeira, conto de carochinha, Deus com medo pavorosodo homem se tornar igual a Ele e o velado ser com quem Ele conjectura: “Eis queo ho­mem se tem tornado como um de nós”.

 

E oSenhor Deus fez brotar da terra toda quali­dade de árvores agradáveis à vista eboas para comida, bem como a árvore da vida no meio do jar­dim, e a árvore do co­nhecimentodo [bem e do mal].

 

Repetimoseste versículo para caracterizar real­mente duas diver­gências, entre Deus e ohomem, duas ár­vores uma da vida, que se nos parece uma ár­vore de morte, eoutra de sabedoria infinita, já que se dela comesse, tornar-se-ía poderoso esábio como o pró­prio Deus. E, quem seriam as outras entidades, quando o Senhorfala: como um de nós?

 

Mas daárvore do conhecimento do [bem e do mal], dessa não comerás; porque no dia emque dela come­res, certa­mente morre­rás. Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, eo pôs no jardim do Édem para o [lavrar] e guardar.

 

Pensandofriamente sobre o tal paraíso e o ho­mem com suas res­trições impostas peloCriador; fica­mos esno­cado do ponto de vista paradisíaco. Pense assim, você seencontra no paraíso, porém, lá tem uma cobra satânica para lhe tentar a todo oins­tante, tem duas árvores proibidas, e de seus frutos nem pensar em expe­rimentá-los,além de ter de guar­dar o local, e lavrar sua terra.

– Vocêse sente realmente no paraíso?

Paraíso,no sentido literal da palavra se nos pa­rece um lugar de eterno descanso e gozoperenal, pois, no fi­nal do Li­vro, lá no Apo­calipse, veremos um paraíso dife­renciadodeste, onde o homem haveria de lavrar a terra e guardá-lo, além disto, tudohaveria de se preo­cupar com os tais frutos, e tal serpente que o tentaria contundentemente.

Vamosagora ser futurista, e vejamos o novo paraíso, este sim, descerá dos céus, enão é feito de terra, tão novo que o seu nome é: Nova Jerusalém, até se nosparece nome de condomínio de luxo como re­latamos abaixo. Embora, a NovaJerusalém, o novo paraíso o qual Deus dará aos homens se nos pareça com um belocondomí­nio de luxo à “Beverly Hills”, com muita ri­queza material, dessaspelas quais os seres humanos cometem seus crimes hediondos:

QueDeus é esse, que está interessado em me­tais tão insignifican­tes perto de suagrandeza nababesca, posto que, sejam terrenos de­mais?

 

O segundo paraíso

 

Descrição de João na Ilha de Patmos:

 

Elevou-me em espírito a um grande e alto monte, e mos­trou-me a santa cidade deJerusalém, que descia do céu da parte de Deus, tendo a glória de Deus; e o seubrilho era seme­lhante a uma pedra preciosíssima, como se fosse jaspe cris­talino;e tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomesescritos so­bre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. Aooriente havia três portas, ao norte três por­tas, ao sul três portas, e ao ocidentetrês portas. O muro da cidade tinha doze fundamentos, e ne­les esta­vam osnomes dos doze apóstolos do Cor­deiro. E aquele que falava comigo tinha pormedida uma cana de ouro, para medir a cidade, as suas por­tas e o seu muro. Acidade era quadrangular; e o seu compri­mento era igual à sua largura e mediu acidade com a cana e tinha ela doze mil es­tádios; e o seu cumpri­mento, lar­gurae altura eram iguais. Também mediu o seu muro, e era de cento e qua­renta equatro côvados, segundo a medida de ho­mem, isto é, de anjo. O muro eraconstruído de jaspe, e a cidade era de ouro puro, semelhante a vidro límpido. Osfundamentos do muro da cidade estavam ador­na­dos de toda espécie de pedraspreciosas. O pri­meiro funda­mento era de jaspe; o segundo, de sa­fira; o ter­ceiro,de calce­dônia; o quarto, de es­meralda; o quinto, de sardônica; o sexto, desárdio; o sé­timo, de crisó­lito; o oitavo, de berilo; o nono, de topá­zio; odécimo, de crisó­praso; o undécimo, de ja­cinto; o duodécimo, de ame­tista. Asdoze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era de uma só pérola; e apraça da cidade era de ouro puro, transparente como vidro.

 

Queremoscrer que, está escrito desta forma para ali­ciar o ser humano telúrico(terreno), aquele que não tem a capacidade de vislumbrar a felicidade etérica,a não ser em um pedaço de ouro, o qual re­solveria seu problema ma­terial. Eque agora por prati­car o bem, herdaria de Deus uma cidade de ouro e pedras precio­sas,por isto deve se sentir feliz.

Bem,no Édem, fica muito interessante Adão la­vrando a terra...

- E,com quais ferramentas?

Explica-nosa história, que ali no Édem, rios re­gavam o solo do paraíso.

Sefalássemos do rio subdividido em quatro bra­ços e mais alguns detalhes,tornaríamos aqui cartó­grafos do Édem e, já dissemos: não é esse o nosso propósito.

 

Maisuma bela alusão do Édem escrito no livro de Eze­quiel:

                       

 

Estivesteno [Édem], jardim de Deus; co­brias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, otopázio, o ônix, a cri­sólita, o berilo, o jaspe, a safira, a gra­nada, a es­meraldae o ouro em ti se faziam os teus tam­bores e os teus pífaros; no dia em quefoste criado foram pre­parados.

 

Noaspecto de matéria densa e viscosa, o Édem tinha muitas pe­dras preciosas, enão dá para entender por­que valo­rizar tanto es­sas coisas, que tem valor apenasmaterial, do ponto de vista eco­nômico como já aven­tamos, e serve para sefazer muita contenta suscitando roubos e latrocínios.

 

ComoDeus criou a mulher

 

Agorachegou a hora da mulher, aliás, ao tocar­mos neste assunto, achamos o Livro umtanto ma­chista, mas fa­laremos disso no de­correr da nossa con­versa ao longodos Tes­tamentos.

 

Edisse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma adjutoraque esteja di­ante dele. Havendo pois o Senhor Deus formado da terra todo oanimal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver comolhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seunome. E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animaldo campo; mas para o homem não se achava adju­tora que estivesse diante dele. Entãoo Senhor fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu: e tomou uma dassuas cos­telas, e cerrou a carne em seu lugar; E da costela que o Senhor tomoudo ho­mem, for­mou uma mulher: e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agoraosso dos meus ossos, e carne da minha carne: esta será chamada varoa, por­quantodo varão foi tomada.

 

O quepensam as mulheres dos dias hodiernos, onde exercem funções magistrais, diantedos homems. Uma porção de costelas diri­gindo muitos homens.

 

Daenciclopédia:

 

Asverdades da Bíblia na Visão Holística

jbcampos

 

http://taramela.blogspot.com

 


Acrescentar como Favorito (247) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 2569

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
| cheap car hire