Todos os países da lusofonia
Advertisement

O verme

PDF Imprimir e-mail


Ao decompor-se, o corpo já apodrecido

Metamorfoseou-se em um liquido espesso, amarelado

E ao ser sugado, embrenhou-se ao estomago da mosca varejeira

Que lentamente o sugava


Após extraordinária transmutação

Produziu-se uma espantosa manifestação

Fazendo a mosca defecar o verme

Em meio a podridão


Submergido em um caldo azulado

Estava o verme

Em estado espantado

Tentando livrar-se daquela bolsa fecal


Ao colocar a cabeça para fora

Após romper a grossa membrana

O verme esforçou-se, conseguido tirar seu corpo

Lançando-se ao chão com um hibrido mergulho


Livre daquela prisão, rastejou suavemente

Deixando um rastro meloso no chão

E aos poucos as luzes foram acendendo

Fazendo o verme recuperar a visão


A sua frente, a surpresa

Estava o verme em frente a um jardim de violetas

E sem perder tempo, foi logo tratando de rastejar

Indo ao encontro das lesmas


Ao chegar, o verme foi expulso pelos molúsculos gastrópodes

Que lançaram-no um olhar de repulsa

-Vá ao encontro dos seus! Gritou uma das lesmas

-Estão ali! Ali no corpo decomposto


O verme emocionou-se ao ver uma nuvem de vermes

Fervilhando em uma carcaça apodrecida

E assim, juntou-se aos seus

Dando continuação a vida, que ali, lentamente se esvaia



Sandro Kretus









Acrescentar como Favorito (227) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 2205

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



 
| cheap car hire