A TI

Meu poetar entrego-te em mãos que forjam o branco letras em chuvas de pedras-pomes a cultura grandiosa começam aqui. O vento recusa-se a levar-te...amada em seu coração flamejante e ardente cratera fumacenta que uma vez foi ilha em pinceladas alegres de tua cultura, traz-me. Como aves pitorescas, deste-me teu pensar enfeitas com folhas cintilantes meu olhar enbevecidos brotos abrem-se ão teu caminhar. Rajadas de poeiras brandas, de delicada terra obsidiana energia emergem dos neuros a ti mulher ...!
Acrescentar como Favorito (129) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 1204

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.