PortugalEmLinha logo Literatura Lusófona


Comentário de Janeiro 2000


Comentários
Anteriores


Novembro 98
Dezembro 98
Comentário
do ano 1998


Janeiro 99
Fevereiro 99
Abril 99
Agosto 99
My Darling Dead Ones
Erika de Vasconcelos


É sobre um tema bem familiar a todos aqueles que procuraram novos horizontes, que se abre esta novela.
Erika de Vasconcelos, a autora, uma portuguesa que vive em Toronto-Canadá com as suas duas filhas, é um porta-voz maravilhoso da realidade destes sonhadores desenraizados e com os pés firmes no chão que pisam: o imigrante.
Através da jovem Fiona encontramo-nos diante de culturas que ora se chocam ora se entrelaçam mas que acabam por se diluir como suaves aromas libertos. Meus queridos mortos dá-nos uma leitura multifacetada da vida dos lusófonos no país de acolhimento, da vida das mulheres que fazem das cozinhas as suas arenas. À medida que o lemos, encontra-mo-nos e reconhecemo-nos: ora nos velhos apartamentos de Lisboa, que de tão vazios se tornaram enormes, ora num jardim de Montreal aonde as tulipas começam devagarinho a rebentar por entre a neve branca de Março.
As memórias mais reais do que a realidade tomam muitas vezes forma para atenuar o saudosismo. Em meus queridos mortos a responsabilidade dos novos para com os seus velhos, faz-nos repensar sobre a frieza com que se aborda o futuro curto dos nossos idosos... dum lado e doutro do Atlântico descobrimos a dimensão espiritual que une os homens. Afinal a terra é um jardim aonde todos podemos cohabitar. E o imigrante prova que se pode proteger uma cultura e ao mesmo tempo viver em harmonia com outras.

My Darling Dead Ones
Erika de Vasconcelos
Publicado no Canadá por Alfred A. Knoff Canada


Diana de Moura


Comentários


Deseja comentar estas crónicas?
Escreva-nos


homeVoltar à página principal

Portugal em Linha - O Ponto de Encontro da Lusofonia
Copyright © Portugal em Linha