Todos os países da lusofonia

Galeria Lusófona

Arte Lusófona
Literatura Lusófona
Sabores Lusófonos
Advertisement

Blogs Recomendados

Alto Hama
Pululu
Malambas

Legado Português

Portugal no Mundo
Brasil 500 anos

Empresas Destaque

Horas Lusófonas

Advertisement

te enterrarrei hoje

PDF Imprimir e-mail
 

Então...

Deixarei que tu morras em mim

Farei a ti, tua vontade!

Mas não irei velar-te

Não irei te coroar de flores

Nem mesmo taparei teu rosto

Quero ver a terra sombria tomar

Conta de todo tu, em mim...

Não colocarei em ti, tua melhor roupa!

Não a mereces...

Tão pouco chorarei....

Já derramei lágrimas suficientes

Na dor imensa de amar, de te amar

Dor amarga como fel,e triste!

A ti, dou –te a terra, e uma cova funda!

Onde te sepulto na mais

Negra lembrança, acre dentro de mim...

Na mais vil, na mais desprezível....

Não acenderei velas, nem te farei lapide!

Não quero identificar onde tu ficaste

Retiro-te do meu amor,

Serei eu fantasma, o teu fantasma!

Pois, meu amor sou eu que te enterro,

E contigo hoje levas ao chão frio

da tua cova o meu amor.

Sem abanos, sem beijos, sem lágrimas!

Nesta despedida, sem dor, sem saudades...

Para sempre dentro de mim...

 

Sandra Mello -flor

 


Acrescentar como Favorito (250) | Refira este artigo no seu site | Visualizações: 2134

Seja o primeiro a comentar este artigo
Coemntários RSS

Só utilizadores registados podem escrever comentários.
Por favor faça o login ou registe-se.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Advertisement

Investir em Portugal Investimentos em Portugal
Aconselhamento e apoio ao investimento estrangeiro em Portugal



Advertisement

Comunicados

António Marinho e Pinto - Mudar Portugal

Ler mais...

Broa de Avintes - não tem asas nem sabe voar

Ler mais...
 
| cheap car hire